O Culto | Resenha | ALUADO

O Culto | Resenha

                        
  
 A história do Culto começa no Acre, no ano de 1921, onde cinco mulheres ficam grávidas de forma misteriosa, as cinco mulheres foram muito julgadas pela sociedade da época, por estarem grávidas sem maridos. Quando chega a hora do parto temos uma surpresa, o que nasce são crianças com cabeças de cabras pretas, a cidade fica em choque com o acontecido. O vaticano é informado da situação e ordena a morte de todas as crianças com cabeças de cabras, mas uma criatura é poupada, Arthur.  



“Elita não foi a única a morrer com tamanha crueldade. Fora desacreditada pela vizinhança e taxada de prostituta. Porém, sua família compreendia sua pureza, por isso a acolheu sem dúvidas. Os outros, a despeito do caso, só acreditaram na anormalidade do fato quando mais quatro jovens virgens surgiram grávidas e morreram da mesma maneira: dando à luz um filho com a cabeça de uma cabra preta. (página 16)”


  O livro não segue um modelo de história linear, e é intercalado entre o presente e passado por um narrador misterioso, que nos conta a história do Culto em pequenos sonhos.
  Confesso que fiquei um pouco confuso com o estilo de narrativa no inicio, mas quando me dei conta já estava gostando desse tipo de escrita, que me deixou bastante curioso para saber onde a história iria chegar. 
 Não é um livro com uma história leve, além de ter cenas que poderiam estrelar os piores pesadelos de uma pessoa, o livro também conta com várias críticas sociais, assuntos como pessoas marginalizadas e sobre a questão do que é o próprio mal, são amplamente discutidas no livro.
 Um livro curto, mas com uma história densa, o desenrolar do Culto na narrativa da história é perturbador, uma história cheia segredos e rodeada de medo, essa é a história da Cabra Preta. A escrita do autor é convidativa, faz com que toda a trama fique mais misteriosa e que o leitor fique ainda mais curioso, só o fazendo parar na ultima página.  
 O Culto é um livro brutal, o autor D.A. Pontes, não pensou no bem estar dos leitores, é um livro feito para incomodar e refletir. O livro é bem desenvolvido, com personagens marcantes e misteriosos, cada um tem sua função na história, alguns  personagens são mais desenvolvidos que outros, mas uma coisa é certa, todos  encontram o clima do horror e do medo, que percorrem toda a história. 
  
                                   NOTA:
  







Arthur Santos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Instagram