American Horror Story: Cult 7x04 | Review | ALUADO

American Horror Story: Cult 7x04 | Review


"11/09", o nome do quarto episódio de American Horror Story: Cult, foi como imã, se no episódio passado vimos um pouco de como o Culto funciona, nesse quarto episódio vimos como Kai recruta pessoas para o culto.   
 A primeira cena retrata fielmente a data que leva o nome do episódio, mostra como o país estava divido entre os candidatos da eleição, o telespectador sente a tensão. 
 Esse episódio se afastou dos problemas de Ally e companhia, mas ainda acompanhamos ela na hora da votação, vimos em quem ela vota, foi uma surpresa ela não votar em  Hillary. 
 Acompanhamos Kai com seu discuso, nem sempre Kai é racional, algumas coisas que ele fla são vagas e sem sentidos, mas todas suas palavras são estudas, ele faz seu discuso de acordo com a pessoa que irá ouvi-lo. O plano de Kai é dominas o mundo, e para isso ele está começando por baixo, com pequenos passos, ele quer causar o caos. A interpretação de Evan Peters está ótima, convence muito bem com a loucura do Kai.
  Kai lembra muito Charles Manson, uma pessoa que só estava esperando o caos começar, uma pessoa manipuladora, que encontrava pessoas fragilizadas e falava só o que elas precisavam ouvir para cometer loucuras. 

 Manipulação:

Kai manipula pessoas que estão frágeis para elas fazerem o que ele quer, ele esconhe muito bem suas vítimas. Vemos como Kai manipula Harrison, um homem gay que está em um casamento com uma mulher que não ama e está com muitas dividas e por isso perdeu sua casa, além de ser humilado pelo chefe todo dia, uma vítima perfeita para Kai. Kai manipula Harrison até ele perder a cabeça e matar o chefe, Kai sussurra como deve ser feito. 



As cenas de Harrison e Kai foram para mim as melhores do episódio, foi tenso, sensual e cômico. Manipular Harrison e ter-lo como amigo significa levar sua esposa de brinde, uma mulher alienada, que só pensa em entretenimento, e além disso é muito frustada sexualmente, pois seu marido é gay.

Resultado de imagem para American Horror Story: Cult 7x4 | Review


  Nesse episódio também conhecemos  Beverly Hope, uma reporte que acaba de passar uma temporada numa clinica de reabilitação, pois teve um ataque e bateu num garoto que interrompeu sua reportagem, imitando o discurso abusivo de Trump. Beverly está muito irritada e frustada, além do mais ela é uma ótima reporte, mas está cada vez mais perdendo espaço para uma jornalista mais nova, branca e que faz favores sexuais para subir na televisão. Beverly é uma vitima perfeita para Kai. Kai faz que a seita mate a inimiga de Beverly, Serena, interpretada por Emma Roberts, e assim ela entra para o grupo, com a função de assustar as pessoas na tv, espalhando uma onda de medo em um discuso sensacionalista em suas reportagens.

Imagem relacionada

   Em seguida temos uma surpresa para as pessoas que estão acompanhando a temporada, vimos que Ivy e Winter já se conheciam antes de Winter ser contratada como babar por Ivy e Ally. Vimos como elas se conheceram em uma discusão com um eleitor de Trump, como Winter defendeu Ivy, que sempre é forte, assistir a essa cena fez mostrar que Ivy também precisa de cuidados naõ só a sua esposa, alguém apoiar ela fez ela se sentir bem.

            

 Unidas Winter e Ivy tem um plano de sequestrar o cara que discutiu com elas na manifestação, Gary. Elas sequestram ele para ele não conseguir votar em Trump. 
 Winter age do mesmo modo que seu irmão, Kai, ela fala o que as pessoas querem ouvir, ela os ajudas, e com certeza espera ser ajudada de volta.
 Ao final do episódio Winter conta sobre Gary para Kai, que vai onde ele está preso e o manipula a corta sua própria mão para conseguir sair do cativeiro e conseguir votar. Essa cena é assustadora, as palavras que Kai usa, o jeito que ela fala. Foi muito bom esse quarto episódio ter ido por esse caminho e não focar nas paranoias de Ally, espero que os próximos episódios nos mostre ainda mais sobre o Culto.



Arthur Santos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Instagram