O irmão que tu me deste | Resenha | ALUADO

O irmão que tu me deste | Resenha




 Depois de uma longa ressaca literária escolhi qual seria a minha próxima leitura, escolhi O irmão que tu me deste, por ser um livro curto com apenas 130 páginas e com uma premissa que chamou minha atenção, achei que seria uma leitura interessante e rápida. Mas eu estava muito engando. 
  Sim, foi uma leitura rápida, mas bem estressante, não lembro da última vez que eu chorei de raiva por causa de um livro, acho que essa foi a primeira vez e espero que tenha sido a última. 
 O irmão que tu me deste é uma história narrada por Alfredo um jovem que é o irmão caçula de uma família muito rica do Rio de Janeiro, Alfredo tem um amor muito grande pelo seu irmão Alberto. Alfredo sempre foi o filho preferido de sua mãe e Alberto percebendo essa preferencia sempre se retraia e tinha muito ciumes dessa relação entre sua mãe e seu irmão.
  O livro é divido em três partes, na primeira parte chamada de o pêssego, o anel e a festa, Alfredo nos conta como foi sua infância ao lado do irmão e como ele fazia de tudo para que seu irmão não sofresse. Nessa primeira parte da história ocorre vários acontecimentos que poderiam ser mais desenvolvidos pelo o autor, mas ele prefere não se aprofundar na história.


 Na segunda parte (e a pior partes de todas), 
o aprendiz de corcunda de Notre-Dame, acompanhamos Alfredo que agora tem 17 anos em uma viagem à Paris, onde ele vai estudar artes por um ano, mas esse não é o verdadeiro motivo da sua viagem, Alfredo quer esquecer seu passado ''problemático''. Em sua viagem à Paris ele começa a fumar maconha e acaba ficando viciado.

  Mesmo sendo um livro narrado pelo o personagem em primeira pessoa, o autor deixa claro o discurso antidrogas, mas ele fez isso de uma maneira errada e forçada, ele usou esteriótipos que já estão saturados, fazendo a leitura ficar muito cansativa. 
 Por vários momentos pensei em abandonar a leitura, mas fui forte e conseguir prosseguir para a terceira parte.
 Na terceira parte, o amanhã começa hoje, acompanhamos a recuperação de Alfredo, ele tenta esquecer seu passado, e descobre o amor verdadeiro, numa clinica de recuperação. 

 O livro tinha tudo para ser incrível, mas por falta de desenvolvimento no enredo, se tornou uma grande decepção.
  Temas como preferencia dos pais, sexualidade, homofobia e abuso de drogas são jogados na história mas não são desenvolvidos, o que me causou muita frustração.
 O passado ''problemático'' de Alfredo não convence e mais parece birra de criança mimada. 



                                   Nota:

Arthur Santos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Instagram