5 MOTIVOS PARA LER: A MENINA QUE ROUBAVA LIVROS

Oi tudo bem?      Faz um tempinho que o blog esta desatualizado, sem posts novos, mas isso vai mudar a partir de hoje.  Nesse mês de Janei...

Oi tudo bem?
   
 Faz um tempinho que o blog esta desatualizado, sem posts novos, mas isso vai mudar a partir de hoje.  Nesse mês de Janeiro finalmente li o livro A Menina que Roubava Livros e hoje venho trazer alguns motivos que fizeram essa leitura ser tão especial.
                                 
                            




Sinopse: Entre 1939 e 1943, Liesel Meminger encontrou a Morte três vezes. E saiu suficientemente viva das três ocasiões para que a própria, de tão impressionada, decidisse nos contar sua história, em 'A Menina que Roubava Livros', livro há mais de um ano na lista dos mais vendidos do 'The New York Times'.
Desde o início da vida de Liesel na rua Himmel, numa área pobre de Molching, cidade desenxabida próxima a Munique, ela precisou achar formas de se convencer do sentido da sua existência. Horas depois de ver seu irmão morrer no colo da mãe, a menina foi largada para sempre aos cuidados de Hans e Rosa Hubermann, um pintor desempregado e uma dona de casa rabugenta. Ao entrar na nova casa, trazia escondido na mala um livro, 'O Manual do Coveiro'. Num momento de distração, o rapaz que enterrara seu irmão o deixara cair na neve. Foi o primeiro de vários livros que Liesel roubaria ao longo dos quatro anos seguintes.


                                                A Morte 

A narradora da história é a Dona Morte, e como personagem da vida real ela conta a história de sua maneira  o que deixa o livro super interessante e ás vezes  engraçado. É a Morte que faz essa história ficar menos tensa. É a Morte que nos acompanha na leitura dessa história.

   


        Quando a Morte conta uma história, você deve parar para ler. 



                                        Contexto histórico


 Acho que todo mundo que tem algum interesse nesse livro sabe o contexto histórico em que ele é contado. A segunda guerra mundial é o plano de fundo desse livro, vemos como uma criança lida com as mudanças que uma guerra trás, e vemos tudo isso dentro da Alemanha nazista.
  

                                                   Max

 Max é um judeu que cria uma linda amizade com Liesel (isso não é spoiler) Apesar das diferenças eles tem muitas coisas em comum, ao decorrer da história acompanhamos essa amizade e vemos como ela é importante para eles, já que um ajuda o outro a exorcizar seus demônios.  Max até escreve algumas histórias para Liesel.
      



                                                 Livros




Liesel ama livros, antes mesmo de saber ler, é maravilhoso acompanhar o processo dela de aprender as primeiras palavras até conseguir ler seu primeiro livro, O Manual do Coveiro. As pessoas que amam ler vão se identificar com Liesel em vários momentos. 
                                                 
                             
                             
                                                Rudy


Rudy é uma criança, vizinho de porta de Liesel e também seu melhor amigo, Rudy é um personagem incrível que trás várias emoções para a história, ele é apaixonado por Liesel, mas ela só o enxerga como um amigo, ás aventuras que os dois viveram juntos são maravilhosas, os furtos de livros e de comidas são cenas até cômicas, mas Rudy também nos mostra seu outro lado, seu lado mais humano. 



  
(Umas das minhas cenas favoritas)




   





NOTA:



Bom, esses são alguns motivos que fizeram essa leitura ser tão especia para mim. Te convenci a ler esse livro? Comenta ai!


Abraços